Artigo publicado em 26 jan 2017 | Este artigo tem 0 Comentário

image

Uma Mulher falando dos Homens!

Minha Amiga, se você acha que homem dá muito trabalho, case-se com uma mulher e aí você vai ver o que é mau humor!

O modo de vida, os novos costumes e o desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está o macho da espécie humana.

Tive apenas 1 exemplar em casa, que mantive com muito zelo e dedicação num casamento que durou 56 anos de muito amor e companheirismo, (1952-2008) mas, na verdade, acredito que era ele quem também me mantinha firme no relacionamento. (mais…)

Artigo publicado em 20 dez 2016 | Este artigo tem 0 Comentário

image

O presente artigo trata-se de uma abordagem contemporânea. A proposta é relacionar o estudo da psicopatologia e o conceito de periculosidade. Um olhar mais atual sobre essa questão.

A periculosidade é um construto, criado historicamente pela manifestação do sujeito para consigo mesmo e com os outros, e o binômio jurídico-psiquiátrico, que é um poder-saber que condiciona a percepção do criminoso com um caráter preventivo. (mais…)

Artigo publicado em 10 nov 2016 | Este artigo tem 1 Comentário

image

INTRODUÇÃO

Em última análise, precisamos amar para não adoecer.” Sigmund Freud

Abordaremos neste artigo a arte de saber respeitar o amor, ainda que, o amor entre os parceiros se acabe.Quando tratamos sobre o assunto, relacionamento entre casais, geralmente, as pessoas ficam com pé atrás. E pode-se dizer que, às mulheres são quase que uníssonas nesse assunto. Geralmente, o mundo feminino expõe mais frequentemente os sentimentos em comparação ao mundo masculino, que, comumente oculta os seus sentimentos.

DO FIM X RESPEITO

Mas quando as pessoas se unem por amor e o relacionamento chega ao fim, deveriam terminar com o mínimo de respeito pelo o que ambas se proporão a viverem juntas consensualmente pelo tempo que deu certo. (mais…)

Artigo publicado em 30 out 2016 | Este artigo tem 0 Comentário

image

“Vivemos com o que recebemos, mas marcamos a vida com o que damos.” Winston Churchill

Abordaremos no presente artigo os sujeitos: manipulador, manipulável e o sujeito suposto manipulável. Para o entendimento dessas três regras elucidaremos a seguir com a elaboração desse artigo.

As pessoas que fazem pouco de nós, acreditam ser superiores a nós, por serem manipuladoras! E tentam nos subestimar o tempo todo, para ter o controle sobre a nossa mente, os nossos sentimentos e as nossas emoções. Portanto, cada um deve receber de nós aquilo que nos oferta. Eis, o meu amor próprio. (mais…)